domingo, 21 de maio de 2017

Educação para o Século 21

Mais exercícios, mais repetição e mais testes podem até resultar em uma nota maior, mas não prepararão o aluno de forma integral e, muito menos, darão conta de desenvolver todas as competências que ele necessita para enfrentar os desafios do século 21.


Enquanto o mundo abre espaço e cobra que os jovens sejam protagonistas de seu próprio desenvolvimento e de suas comunidades, o ensino tradicional ainda responde com modelos criados para atender demandas antigas. A realidade é que o ser humano é definitivamente complexo e, para desenvolvê-lo de maneira completa, é necessário incorporar estratégias de aprendizagem mais flexíveis e abrangentes. Continue lendo o artigo AQUI.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

O coordenador pedagógico deve observar a sala de aula?

Para um coordenador pedagógico, observar a sala de aula pode ser um dos momentos mais críticos da função, pois já se enraizou a ideia de que se observa para supervisionar. Mas é preciso ressaltar que, no contexto pedagógico escolar, a observação é uma excelente estratégia na formação dos professores na escola, já que ela pode contribuir para levar o professor a uma reflexão de sua prática e a buscar novas possibilidades de intervenções para a melhoria do ensino. Mas como fazer esta observação da melhor maneira?

Neste terceiro artigo da série sobre o papel do coordenador pedagógico nas escolas (veja aqui o primeiro e o segundo), feito com base no estudo da pesquisadora Silvana Tamassia, que relata a experiência na formação de gestores no curso de Gestão para a Aprendizagem, realizado pela Fundação Lemann em parceria com a Elos Educacional, vamos abordar a segunda frente de atuação desse profissional: o acompanhamento da ação pedagógica do professor em sala de aula por meio de observações planejadas. Continue lendo o artigo AQUI

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Organização da sala de aula deve mudar conforme intenção pedagógica

Saiba como tornar o ambiente de aprendizagem um lugar flexível e quais as possibilidades pedagógicas de diferentes arranjos

por Ana Luiza Basílio, do Centro de Referências em Educação Integral

Entender a sala de aula como um local flexível é um dos primeiros passos para se pensar a diversificação das práticas pedagógicas. A mudança, no entanto, não deve acontecer de forma isolada e precisa estar inserida dentro de uma proposta política e pedagógica. “É fundamental que antes de pensar os espaços se discuta a concepção de educação colocada, bem como o que se pretende com os sujeitos ali presentes”, considera a professora Sandra Caldeira, mestre e doutora em História da Educação. Leia  artigo completo AQUI.

sábado, 15 de abril de 2017

As amarras burocráticas e o medo de mudar nos impede de avançar

Temos defendido uma Proposta Pedagógica para o Ensino de Jovens e Adultos Semipresencial para enfrentarmos o grande problema que é a evasão escolar. A proposta da Escola Manoel de Barros tem como pilares:
  1. Flexibilização do tempo do educando;
  2. Reorganização do tempo do educador;
  3. Flexibilização da carga horária anual;
  4. Metodologia e ações que atendam as necessidades de aprendizagem;
  5. Uso das novas tecnologias com o objetivo de facilitar o processo de ensino e aprendizagem;
  6. Processo avaliativo capaz de diagnosticar as dificuldades e possibilidades do educando e do educador, reorientando o processo educativo e não como único instrumento de aprovação e reprovação.
Fundamentação legal
Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB)
Art. 80 - O Poder Público incentivará o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada. Acesse o Regulamento

Art. 87, parágrafo 3º, inciso II - Prover cursos presenciais ou à distância aos jovens e adultos insuficientemente escolarizados;

Decreto Nº 5.622/2005 (Regulamenta o Art. 80 da LDB) 

A LDB permite uma ampla flexibilização de modo que a escola possa definir seu rumo, mas as amarras dos burocratas freiam qualquer iniciativa com o objetivo de adaptarmos nossa escola às necessidades reais dos nossos alunos.

Fizemos uma consulta aos alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA) do Manoel de Barros este ano para saber se eles preferem que o início das aulas comece às 18 ou 19 horas e se eles desejam estudar pelo EJA Presencial ou o Semipresencial Dos 148 alunos consultados o resultado foi o seguinte:

  • 41 alunos preferem que as aulas comece às 18 horas e 107 preferem às 19 horas
  • 54 alunos desejam estudar pelo sistema presencial e 94 pelo semipresencial.
A não implantação das mudanças propostas pela direção da escola já está causando um enorme estrago. Como prevíamos que a evasão nos EJA´s seria inevitável com o atual sistema, matriculamos 60 alunos por turma e hoje estão efetivamente assistido aula aproximadamente 10 a 15 alunos por turma.

Se todos nós queremos mudar essa triste realidade não tem outro caminho a não ser fazer diferente o que está dando errado. Agora, não dar para esperar que vamos obter resultados diferentes fazendo a mesma coisa de forma errada,

Mudar os péssimos índices que amargamos a anos exige coragem para se opor as amarras burocráticas, comprometimento e muita capacitação de todos os atores envolvidos no nosso sistema educacional.

quarta-feira, 22 de março de 2017

1ª Webconferência do Programa Bolsa Família na Educação

A 1ª Webconferência do Programa Bolsa Família na Educação será realizada no dia 27/03/2017, às 10h (manhã), tendo como objetivos apresentar o Programa Bolsa Família (PBF) e as condicionalidades às novas Coordenações Municipais do PBF na Educação, discutir os resultados do acompanhamento da condicionalidade da educação no ano de 2016 e propor encaminhamentos para 2017.

Para acessar a webconferência, segue o link da transmissão no endereço: http://portal.mec.gov.br/bolsafamiliamec/transmissao

O Sistema Presença abre para registro da frequência escolar do Bolsa Família no próximo dia 31 de março e fecha no dia 28 de abril de 2017. Importante mobilizar as escolas para o registro da informação online o mais breve possível, não deixando para os últimos dias!

Para mais esclarecimentos entrar em contato pelo e-mail: frequenciaescolar@mec.gov.br

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Educação à distância acessível a todos

O mundo passa por grandes transformações em todas as áreas, mas a do trabalho é a que está e continuará sofrendo mais impacto de forma que o mercado de trabalho só acolherá os que estiverem mais preparados. Seu principal diferencial para o mercado de trabalho é seu capital intelectual que precisa continuamente ser atualizado com novos conhecimentos.

Como forma de oferecer nossa singela colaboração a você que deseja mudar ou melhorar de vida disponibilizamos neste blog a secção EAD (barra acima deste blog) onde você encontrará vários cursos livres, graduação e pós-graduação, sendo alguns grátis e outros pagos, mas todos reconhecidos pelo Ministério da Educação. São cursos à distância ou semi presencial.

O Instituto Natura oferece cursos com certificado grátis validados pelo MEC

Leve conteúdos e tecnologias digitais para a sala de aula. Aproxime-se da realidade de seus alunos. Aproveite! Você conhece o curso a distância da Escola Digital? Ele é gratuito, tem quatro módulos com um total de 40 horas de atividades. O objetivo é propiciar a reflexão sobre tecnologia e educação, bem como auxiliar coordenadores pedagógicos e diretores a dar suporte a seus professores a incorporar recursos digitais para a aprendizagem e organizar a infraestrutura tecnológica da escola. Os concluintes recebem certificado validado pelo MEC.

Os cursos

Tecnologia e Currículo



Curso para gestores escolares



Faça AQUI sua inscrição

domingo, 12 de fevereiro de 2017

10 tendências de personalização do ensino em 2017

Hoje a escola avalia seus alunos assim




Veja novas ideias para atender às necessidades e interesses de cada aluno sem criar um modelo único que atenda a todos

Foram elencadas duas tendências para cada uma das cinco categorias que devem se destacar em 2017. Cada uma dessas tendências está tão ligada à personalização que vemos professores e alunos com a possibilidade de adotá-las em muitas dimensões para crescer e se desenvolver durante o ano e além.

Processo
1) Design universal de aprendizagem: professores precisam entender como alunos acessam a informação, se engajam com o conteúdo e expressam o que sabem ou o que entenderam.

2) Inovação e criatividade: professores e alunos vão encorajar a inovação, encara mais riscos, aprender a partir dos erros e sair da zona de conforto.

Tecnologia
1) Letramento digital: alunos podem até ter mais conhecimento sobre tecnologia de que seus professores, mas não sabem usá-la de modo apropriado. Os professores precisam apoiá-los a pensar criticamente e a agir criticamente e agir de maneira segura no meio digital.

2) Preparação para o futuro: alunos usam seus plano de aprendizagem pessoal para explorar o projeto de vida para determinar quais experiências s]ao necessárias para que estejam aptos ao ensino superior em sala de aula.

Estrutura
1) Colaboração global: professores precisam ter compreensão intercultural e estimular a colaboração para trazer o mundo aos seus estudantes.

2) Política de educação baseada em competências: o conceito defende que deve ser privilegiada a demonstração do domínio dos objetivos de aprendizagem em detrimento do tempo em sala de aula.

Ensino e aprendizagem
1) Aprendizagem profissional: professores também são estudantes. A formação profissional encoraja o crescimento pessoal quando permite que professores desenvolvam objetivos específicos.

2) Aprendizagem baseada em projetos: projetos com foco no aluno tomam o aprendizado mais personalizado porque dão voz e escolha sobre o que e como eles desejam aprender.

Cultura
1) Cultura de aprendizagem: significa unir pessoais sistemas e processos com os valores e conhecimentos da sala de aula, escolas e comunidade para que todos cresçam, mudem e aprendam ao longo do tempo.

2) Equidade e justiça social: as escola precisam ser laboratórios para uma sociedade mais justa do que aquela em que vivemos hoje, Currículos precisam encorajar que alunos "compartilhem sua voz"  com o mundo para que eles se tornem agentes de transformação.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Você está preparado para as exigências do mercado de trabalho?

Estamos vivenciando um processo acelerado de mudanças no cenário mundial, com impactos profundos nas áreas política, econômica, ambiental, social, cultural e empresarial. Nesse contexto, para que as pessoas possam garantir a sua sobrevivência e continuidade, de forma sustentável, num ambiente cada vez mais instável e competitivo, o conhecimento adquire importância decisiva.

E como principal diferencial para o mercado de trabalho é seu capital intelectual que precisa continuamente ser atualizado com novos conhecimentos. Sendo assim disponibilizamos para você dois sites que oferecem cursos das principais faculdades do mundo. Os cursos são gratuitos e on line, agora se você quiser receber por um certificado de conclusão paga uma pequena quantia. Veja os links abaixo.


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Escolas e Faculdades não podem reter documentos, negar provas ou aplicar penalidades aos alunos em caso de dívidas

Os alunos de escolas e faculdades, muitas vezes são vítimas de "represálias" por parte destas instituições de ensino quando, por várias dificuldades, acabam não conseguindo honrar seus compromissos e ficam em dívida. 

Embora seja ilegal, é comum estas instituições negarem a entrega de históricos, diplomas e outros documentos, impondo ao aluno a obrigação de pagar a dívida para poder obte-los. 

Também é comum a aplicação de penalidades, como não deixar o aluno fazer provas, assistir as aulas e outras que até podem gerar situação de constrangimento do mesmo perante os seus colegas, o que no caso seria razão para ação de indenização por danos morais. 

lei 9.870 de 23 de novembro de 1999, garante os direitos do aluno inadimplente, conforme se verifica pelo texto da lei: 

Art. 6o São proibidas a suspensão de provas escolares, a retenção de documentos escolares ou a aplicação de quaisquer outras penalidades pedagógicas por motivo de inadimplemento, sujeitando-se o contratante, no que couber, às sanções legais e administrativas, compatíveis com o Código de Defesa do Consumidor, e com os arts. 177 e 1.092 do Código Civil Brasileiro, caso a inadimplência perdure por mais de noventa dias. 

§ 1o Os estabelecimentos de ensino fundamental, médio e superior deverão expedir, a qualquer tempo, os documentos de transferência de seus alunos, independentemente de sua adimplência ou da adoção de procedimentos legais de cobranças judiciais.(Vide Medida Provisória nº 2.173-24, 23.8.2001) 

§ 2o São asseguradas em estabelecimentos públicos de ensino fundamental e médio as matrículas dos alunos, cujos contratos, celebrados por seus pais ou responsáveis para a prestação de serviços educacionais, tenham sido suspensos em virtude de inadimplemento, nos termos do caput deste artigo. 

§ 3o Na hipótese de os alunos a que se refere o § 2o, ou seus pais ou responsáveis, não terem providenciado a sua imediata matrícula em outro estabelecimento de sua livre escolha, as Secretarias de Educação estaduais e municipais deverão providenciá-la em estabelecimento de ensino da rede pública, em curso e série correspondentes aos cursados na escola de origem, de forma a garantir a continuidade de seus estudos no mesmo período letivo e a respeitar o disposto no inciso V do art. 53 do Estatuto da Criança e do Adolescente. 

Transcrito de SOSConsumidor.com.br